Ligue: (62) 3095-(Ver Telefone)
Ligue: (62) 3095-7171
Share on FacebookGoogle+Tweet about this on Twitter
imagem

Desorganização: os segredos para vencê-la sem dor

Alguma vez já aconteceu de você perder a chave do carro pela casa e quase perder um compromisso? Ou talvez esqueceu de pagar uma conta no banco? Faltou à apresentação dos seus filhos porque não estava anotada na sua agenda? Cuidado! Você está sendo refém de um grande vilão do tempo: a desorganização.

Esse é um mal constante na vida de algumas pessoas. Há, inclusive, quem defenda que ser desorganizado é um “estilo de vida”. Existem diversas desculpas para justificar este comportamento: “minha bagunça é organizada”, “não mexe aí senão eu me perco”, “eu vou perder tempo se eu for organizar isso”… Contudo, não é isso o que acontece…

A desorganização rouba momentos preciosos e, literalmente, nos tira o sono: ficamos tão estressados por causa dela que isso gera ansiedade, irritação e insônia.

Isso é realmente preocupante! Afinal, quando observamos o cenário como um todo, ser desorganizado se associa diretamente com o desenvolvimento de doenças tais como hipertensão e depressão.

Não entre em pânico! Tudo o que foi dito neste artigo tem o único e exclusivo objetivo de fazer com que você pare e reflita por alguns instantes. Você pode tornar-se uma pessoa mais organizada – e nem é tão complicado quanto parece. Continue lendo para descobrir como!

1. Assuma que você tem um problema

Alimentar suas desculpas só irá gerar ansiedade e procrastinação. Admita que você está vivendo um estado caótico e que precisa de ajuda. (Parece exagerado, mas este é um passo importantíssimo para vencer este desafio)

2. Vença suas próprias desculpas

A sua mente tem um poder incrível! Para conseguir fazer com que ela atue em prol dos seus resultados, é preciso que você comece a perceber as desculpas que cria para si mesma e encontrar contra-argumentos para elas.

Por exemplo, se você vive dizendo “eu me encontro na minha bagunça”, pense em quantas vezes você passou horas procurando algo que só encontrou dias depois. Este é um exercício contínuo, cujos resultados são extraordinários a longo prazo.

3. Pratique o desapego

Se tem mais de um ano que você não utiliza, elimine da sua vida. Isso se aplica a tudo – com exceção de documentos e comprovantes de pagamento. Roupas, papéis, brinquedos das crianças, livros… Não necessariamente é preciso jogar fora: você pode doar, trocar, vender…

Há alguns anos me deparei com a seguinte frase: “o lixo de uns é o luxo de outros”. Desde então, percebi o quanto passar algumas coisas adiante é libertador. Coisas são apenas coisas, e abrir mão delas não é o mesmo que abrir mão das memórias.

A vida é um fluxo. Deixe que ela (e as coisas que a acompanham) flua, sem o peso do que é velho e obsoleto.

4. Procure ajuda

Confesso: na adolescência eu não era muito organizada. Meus hábitos de estudo envolviam abrir diversos livros e cadernos, fazer várias anotações… E às vezes eu saía para fazer alguma coisa, mas deixava tudo aberto em cima da mesa para quando retornasse pudesse continuar de onde parei.

A dificuldade maior é que minha mãe ficava muito irritada em ver meus materiais espalhados daquela forma. Querendo organizar a mesa, ela juntava tudo e colocava em um armário. E aquilo quase me traumatizou, porque depois eu ficava completamente perdida!

Só que com o passar dos anos eu descobri que o problema da desorganização é algo tão comum nos dias de hoje que até surgiu uma profissão para solucioná-la: os personal organizers.

E, sabendo que tinha essas dificuldades em me organizar, contratei uma dessas profissionais. Foi uma experiência extraordinária!

No começo estava receosa, cheia de crenças limitantes em relação a deixar alguém organizar as minhas coisas. À medida que fomos progredindo naquela tarefa, percebi algo muito legal: o trabalho dela era focado nas minhas necessidades. E isso me ajudou a superar o “trauma” que eu tinha de outras pessoas arrumarem as minhas coisas.

5. Compreenda a diferença entre arrumar e organizar

Ao contrário do que muitos pensam, estes dois conceitos não significam a mesma coisa. Arrumar é o ato de deixar o ambiente esteticamente belo. Organizar, por outro lado, envolve métodos, sistemas, praticidade e personalização.

A organização demora mais tempo para ser executada. Entretanto esse processo facilita muito mais a utilização daquilo que é necessário, e a manutenção é bem mais fácil. O objetivo da arrumação é complementar a organização, não de substituí-la.

Respire fundo e prepare-se!

A jornada para uma vida mais organizada não acontece da noite para o dia. É preciso esforço e melhoria constantes, que resultarão em uma vida mais leve, com menos estresse e muito mais produtividade.

Quer saber mais dicas sobre como vencer a desorganização? Neste e-book gratuito dedico um capítulo inteiro a outras dicas para vencer este ladrão do tempo. Espero que goste!

Fale com consultor